Buscar
  • Happen

Inteligência Emocional: O que é e por que importa?

Todo mundo sabe que o grau de QI (quociente de inteligência) de uma pessoa não determina se essa pessoa terá ou não sucesso profissional. Você provavelmente conhece pessoas que são academicamente brilhantes e ainda sim não conseguem alcançar estabilidade no trabalho ou em relacionamentos pessoais. A verdade é que a capacidade intelectual ou o seu QI sozinho não é suficiente. Sim, seu QI pode ajudá-lo a entrar na faculdade, mas é o seu QE (Quociente Emocional) que o ajudará a gerenciar o estresse e a lidar com as emoções do dia a dia.


A sua Inteligência Emocional afeta diferentes áreas da sua vida, as principais dela são:


Saúde física: Se você não consegue controlar suas emoções, provavelmente também não está gerenciando seu estresse. Isso pode levar a sérios problemas de saúde. O estresse descontrolado aumenta a pressão sanguínea, suprime o sistema imunológico, aumenta o risco de ataques cardíacos e derrames, contribui para a infertilidade e acelera o processo de envelhecimento. O primeiro passo para melhorar a inteligência emocional é aprender a gerenciar o estresse.


Saúde mental: Emoções e estresse descontrolados também podem afetar sua saúde mental. E ainda podem te tornar vulnerável à ansiedade e depressão.


Relacionamentos: Ao entender suas emoções e como controlá-las, você poderá expressar melhor como se sente e entender como os outros estão se sentindo. Isso permite que você se comunique de maneira mais eficaz e forme relacionamentos mais fortes, tanto no trabalho quanto em sua vida pessoal


Inteligência social: Estar em sintonia com suas emoções serve a um propósito social, conectando você a outras pessoas e ao mundo ao seu redor.


Existem 4 pilares essenciais que são os primeiros passos para desenvolver a Inteligência Emocional. São eles: autogerenciamento, autoconsciência, consciência social e gerenciamento de relacionamento. Vamos falar um pouco sobre cada um deles.


Autogerenciamento:

Nesse ponto é importante que você entenda que pode (e deve) usar suas emoções para tomar decisões construtivas sobre seu comportamento. Quando você fica estressado demais, pode perder o controle de suas emoções e a capacidade de agir de maneira adequada e equilibrada.


Pense em um momento em que o estresse o sobrecarregou. Foi fácil pensar com clareza ou tomar uma decisão racional? Provavelmente não. Quando você fica estressado demais, sua capacidade de pensar com clareza nas suas emoções - ou nas de outras pessoas - fica comprometida.


As emoções são informações importantes que falam sobre você e os outros, mas, diante do estresse que nos tira da nossa zona de conforto, podemos ficar sobrecarregados e perder o controle de nós mesmos.


Com a capacidade de gerenciar o estresse e permanecer emocionalmente presente, você pode aprender a receber informações ruins sem deixar que elas substituam seus pensamentos e autocontrole. Você também conseguirá fazer escolhas que lhe permitam controlar sentimentos e comportamentos impulsivos, gerenciar suas emoções de maneira saudável, tomar iniciativas, cumprir compromissos e se adaptar às novas situações.


Autoconsciência:

Gerenciar o estresse é apenas o primeiro passo para criar inteligência emocional.

Sua capacidade de gerenciar sentimentos essenciais, como raiva, tristeza, medo e alegria, geralmente depende da qualidade e consistência de suas experiências emocionais no início da vida. Se seus pais, quando criança, entenderam e valorizaram suas emoções, é provável que você traga reflexo disso para a sua vida adulta.


Ser capaz de se conectar às suas emoções é a chave para entender como a emoção influencia seus pensamentos e ações.

Alguns exemplos disso é fazer as seguintes reflexões:

Suas emoções são acompanhadas por sensações físicas que você experimenta em lugares como estômago, garganta ou peito? Você experimenta sentimentos como raiva, tristeza, medo e alegria, e percebe como cada um tem expressões faciais sutis?

Você presta atenção às suas emoções? Eles levam em consideração sua tomada de decisão?


Se alguma dessas experiências não for familiar, é possível que você tenha "deligado" suas emoções em determinados momentos.

O Mindfulness é a prática de focalizar sua atenção propositadamente no momento presente. O cultivo dessa prática tem raízes no budismo, mas a maioria das religiões inclui algum tipo de técnica semelhante de oração ou meditação. O Mindfulness ajuda a mudar sua preocupação com o pensamento para uma apreciação do momento, suas sensações físicas e emocionais e traz uma perspectiva mais ampla da vida.


Consciência Social

A consciência social permite que você reconheça e interprete as indicações principalmente não verbais que as outras pessoas estão (involuntariamente) usando para estabelecer uma conexão. Esses pequenos movimentos permitem que você saiba como os outros estão realmente se sentindo, como seu estado emocional está mudando de momento para momento e o que é realmente importante para eles. Quando grupos de pessoas enviam dicas não verbais semelhantes, você é capaz de ler e entender a dinâmica do poder e as experiências emocionais compartilhadas do grupo. Em resumo, você é empático e socialmente confortável.


O Mindfulness também um aliado da consciência emocional e social. Isso por que para criar consciência social, você precisa reconhecer a importância da atenção plena no processo social. Afinal, você não pode captar dicas sutis e não verbais quando está na sua cabeça, pensando em outras coisas. A consciência social requer sua presença no momento. Embora muitos de nós se orgulhem da capacidade de realizar várias tarefas ao mesmo tempo, isso significa que você sentirá falta das sutis mudanças emocionais que ocorrem em outras pessoas que o ajudarão a entendê-las completamente.


Na verdade, é mais provável que você alcance seus objetivos sociais, deixando de lado outros pensamentos e concentrando-se na própria interação.


Gerenciamento de Relacionamento

Trabalhar bem com os outros é um processo que começa com a consciência emocional e sua capacidade de reconhecer e entender o que as outras pessoas estão experimentando. Quando a consciência emocional estiver em jogo, você poderá efetivamente desenvolver habilidades sociais / emocionais adicionais que tornarão seus relacionamentos mais efetivos.


Esses são os pilares básicos para desenvolver e dar os primeiros passos quando se fala sobre Inteligência Emocional! O que você achou dessas dicas? Quais delas já pode aplicar no seu dia a dia?

-

Esse post é uma criação de Ana Uriarte. Por aqui, ela é a responsável pela curadoria de todos os conteúdos dos nossos canais. Para conhecer um pouco mais da Ana, é só clicar aqui.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo