Buscar
  • Happen

Scrum: Como implementar Metodologias Ágeis no seu time.

Gerenciar projetos de forma eficaz é um dos maiores desafios dentro das empresas. Isso por que muitos fatores devem ser lavados em consideração: engajamento da equipe, cumprimento de prazos, expectativas da equipe e gestores etc. Grande parte das metodologias de gerenciamento mais tradicionais deixam alguns desses fatores à desejar. Por conta disso, os modelos de gerenciamento ágeis têm sido cada vez mais utilizados.


Se você é líder de uma equipe, com certeza já ouviu falar sobre Scrum! Essa é uma metodologia que foi criada para projetos de TI, mas que hoje é adaptável para times de diferentes setores. Nesse post vamos entender um pouco como o Scrum funciona e como podemos aplicá-lo para diferentes cenários de equipes.

Grande parte do sucesso dessa metodologia é que ela funciona de forma simples, intuitiva e que é flexível com alterações ao longo do caminho.


Primeiro, é bom ressaltar que o Scrum funciona sob três pilares principais:


Transparência: Esse é um ponto importantíssimo. Todos que fazem parte do projeto precisam ter conhecimento dos requisitos, dos processos, e do andamento das atividades. Ou seja, toda a equipe e não só o gerente sabe de tudo o que está ocorrendo naquele momento, facilitando a tomada de decisões e provocando uma auto responsabilidade maior em cada um dos integrantes.


Inspeção: O tempo todo é inspecionado o que está sendo feito no projeto, sejam em reuniões diárias ou nas reuniões de finalização das sprints (ou seja, pequenos pacotes de trabalho).


Adaptação: Esse ponto quer dizer que o Scrum permite que o projeto sofra alterações ao longo do caminho e que o gerenciamento se adequa a essa realidade.

Agora que você já conhece os pilares básicos dessa metodologia (podemos chamá-los aqui de os 3 mandamentos do Scrum), vamos entender na prática como isso funciona.


Se o Scrum fosse um jogo, ele teria três jogadores principais:


Product Owner: Esse é o líder do projeto. É papel dele ser a ponte entre o cliente e a equipe operacional, além de ter o papel de fazer um acompanhamento das entregas que são feitas e ter noção de quais atividades devem ou não ser priorizadas em cada fase do projeto.


Scrum Master: Esse é o líder da equipe e o seu principal papel é fazer com que os colaboradores encontrem um caminho livre para criar as ferramentas e processos que precisam. Essa pessoa normalmente é uma referência técnica na metodologia e nos valores e princípios do scrum (lembra daqueles pilares que falamos antes?)


Dev Team: Essa é a equipe que coloca a mão na massa e desenvolve o projeto. Sua maior missão é seguir os prazos e metas que foram definidos pelo Product Owner, baseado nos valores que são definidos pelo Scrum Master.


Agora que você já entendeu quais os papéis de cada pessoa no Scrum, existem alguns conceitos básicos que também fazem parte da metodologia e que serão essenciais para o andamento do seu projeto:


Sprint: Esse é um dos termos mais utilizados quando falamos de Scrum e, de modo simples, um Sprint significa um “pedaço de tempo” em que uma atividade deve ser realizada. Ao longo do seu projeto, você pode determinar sprints de 5 horas, 1 dia ou 3 semanas. Tudo depende da complexidade da tarefa que precisa ser desenvolvida naquele tempo.


Planejamento de Sprint: Como o nome já diz, essa é a reunião de planejamento da sprint que será iniciada, nela todo o time, juntamente com o Scrum Master e o Product Owner definem qual o objetivo daquela sprint e a equipe define de que forma aquele objetivo será alcançado.


Execução da Sprint: É o momento mão na massa, durante a execução da sprint, todo o time deve estar focado entregar o máximo de valor possível na suas tarefas e o Scrum Master, atuando como facilitador, deve auxiliar a equipe removendo impedimentos e auxiliando o time da melhor forma possível.


Daily Scrum: O Daily Scrum é uma reunião diária, facilitada pelo Scrum Master, onde a equipe deve conversar sobre o desenvolvimento da sprint. A ideia desse momento é ser o mais objetivo possível! Essas reuniões devem ser rápidas e não ultrapassar 15min. A ideia é que sejam feitas todo dia no mesmo horário, isso gera na equipe um comprometimento e priorização do que será falado, evitando reuniões longas e sem objetivo definido.


Sprint Review: Ao final de cada Sprint toda a equipe se reúne para revisar aquilo que foi concluído ou implementado. Esse momento serve para analisar as dificuldades e aprendizados sobre o produto que está sendo desenvolvido.


Sprint Retrospective: Esse processo também pode ser chamado de “lições aprendidas”. A ideia é que nesse momento a equipe debata e entenda que pontos poderiam ter sido melhores no desenvolvimento daquele projeto e como essas melhorias podem ser aplicadas para outras situações.



Agora que você já entendeu como o Scrum funciona, ficou mais fácil de entender quais os benefícios dessa metodologia. A dinâmica do Scrum é voltada para a auto organização do time. Ou seja, os pilares e processos fazem com que as equipes que a utilizem tenham mais responsabilidade, uma comunicação mais fácil, tomadas de decisões mais rápidas, reação a mudanças sem prejudicar o andamento do projeto e, um dos pontos mais importantes para toda equipe: empodera o membro do time, isso o tornando mais engajado e estimulado a executar aquele projeto.



Você utiliza Scrum com a sua equipe? Conta para gente como é a sua experiência com essa metodologia!

-

Gostou desse artigo? Compartilha com aquele amigo que precisa entender mais sobre Soft Skills! Para compartilhar no LinkedIn ou outras redes sociais, basta clicar no botão ali embaixo!


Esse post foi uma criação do João Tompson. Ele cuida do nosso setor comercial e vai poder te ajudar com qualquer informação que precise sobre a Happen. Para conhecer um pouco mais de Tompson, é só clicar aqui.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo